top of page

Casa do Pilar

Conforto térmico e adaptação ao terreno são a essência desse projeto de arquitetura

Ano: 2021
Localização: Lagoa Santa, MG - Brasil
Área construída: 300m²
Equipe: Henrique Vianna, Sofia Lages, Vanessa Couto
Colaboradores: Laura Avelar, Felipe Teixeira, Matheus Barcelos 

O projeto de arquitetura da Casa do Pilar parte do princípio de integrá-la totalmente ao terreno original, pensando em aproveitar o melhor do sol e dos ventos e na combinação de formas e texturas como a essência da proposta.

Como a conexão entre áreas internas e externas era uma premissa principal, partimos da ideia do balcão contínuo de varandas nas áreas mais privativas, que compõem a fachada frontal da casa, e da articulação entre as salas e cozinha com edícula gourmet, spa e jardins, por meio da varanda social.

Para preservar visualmente as três suítes, rotacionamos a casa, aproveitando a declividade do terreno e da rua e trouxemos mais privacidade, tanto de quem passa, quanto dos vizinhos. Assim, a partir do encaixe dos volumes ainda criamos na suíte master uma outra varanda mais reservada, voltada para o interior da casa. Um pequeno refúgio!

​Quanto à fachada, sua alvenaria cega traz peso para a estética da casa e equilibra com toda a leveza e permeabilidade da parte envidraçada, que foi estrategicamente posicionada para entrada de luz natural nas áreas sociais. A escolha por um telhado metálico de água única que cobre todo o núcleo social ainda reforça esse volume que pousa sobre o terreno.

Internamente, isso se reflete em uma cobertura dinâmica, ora mais baixa, ora mais alta, que traz diversas possibilidades de iluminação e revestimentos. No caso do projeto de arquitetura da casa do Pilar optamos por um forro de madeira que não só agrega aconchego como também favorece acusticamente a edificação com pé direito duplo. 

 

Outra estratégia com a mesma finalidade foi o uso das pedras naturais como parede estruturante da sala de estar. Ao mesmo tempo que contrasta com os outros revestimentos neutros escolhidos, harmoniza perfeitamente com a paleta de cores aplicada nos detalhes gerais de mobiliário e se torna um elemento surpresa que atravessa a fachada e eleva a composição dos interiores. 

 

Na dinâmica espacial da família era importante criar um espaço gourmet separado do corpo da casa e que fosse também a cozinha do dia a dia, portanto, ao contrário da interna que é compacta e serve como apoio para a sala de jantar, a edícula é generosa, bem equipada e conta ainda com despensa e copa. Esteticamente tem características similares à casa e, com beirais generosos que se conectam, criamos uma passagem coberta entre os volumes.

bottom of page